quarta-feira, 29 de junho de 2011

Luisa Marilac no Provocações - TV Cultura

A travesti Luisa Marilac foi entrevistada pelo ator/apresentador/escritor Antônio Abujamra, que foi ao ar no dia de ontem.
Em um depoimento direto e sincero, Luisa fala sobre preconceito, prostituição, desejos, universo das travestis, violência, entre vários outros assuntos.
Uma entrevista que merece ser assistida

 


Cruzada religiosa combate direitos civis dos gays - Por Marcelo Semer



O vereador Carlos Apolinário, ligado à Assembleia de Deus, apresentou proposta para criar em São Paulo, o dia do "orgulho hetero", levando o projeto para votação às vésperas da Parada Gay.
A Marcha para Jesus virou palco de repúdio à decisão judicial que garantiu a união estável homoafetiva, tendo como principal estandarte que "o verdadeiro Supremo é Deus".
A deputada Myriam Rios, hoje missionária católica, fez pronunciamento na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro propagando a expressão "orientação sexual pedófila". Dizia ter medo da proximidade de uma babá lésbica a filhas pequenas ou do assédio de um motorista travesti sobre seus meninos.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Homorrealidade comemora seu 1º. aniversário


           Dedicado a divulgação de notícias LGBT, o Blog Homorrealidade é hoje um importante instrumento de informação, formação e conscientização de pessoas.
É um espaço diversificado, democrático, engajado na defesa dos direitos humanos, e no combate a toda e qualquer forma de preconceito!
           Não podia deixar de saudar o Homorrealidade pela passagem de seu primeiro aniversário, e desejar um novo período cheio de realizações e conquistas!
            Parabéns!


Flávio
Responsável pelo Canhotas

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Para o bem da mãe Myrian Rios ela virou deputada e não babá

Para o bem da mãe Myrian Rios, ela virou deputada estadual e não babá, caso contrário creio que Myrian Rios estaria desempregada até hoje. Ou será que os moralistas cristãos que ela diz defender, a empregariam como babá para cuidar de seus filhos?
Vejamos: Myrian Rios, deputada estadual do Rio de Janeiro, atriz e missionária da comunidade Canção Nova afirmou  na ALERJ: Não quero uma babá que ‘escolheu’ ser lésbica para cuidar das milhas filhas. E mais a frente no discurso (que pode ser visto/ouvido no vídeo abaixo) ela associa homossexualidade à pedofilia, fala com todas as letras e ‘se bolinar’ as minhas filhas? Detalhe, que eu saiba Myrian Rios tem apenas dois filhos do sexo masculino. Entre outras pérolas Myrian Rios diz que o PEC 23/2007 vem tirar o direito dos ‘heteros’!


Leia Mais no Maria Frô



Alô, alô ativistas digitais pela liberdade na Rede: Azeredo, o retorno

Estava muito estranho os ataques a sites governamentais, e a onda de sites pedófilos no blogspot! e links de páginas de pedofilia espalhados no twitter. Qualquer blogueiro sabe que criminosos pedófilos não se exibem em blogspot, ou páginas de facebook. 


Leia mais no Maria Frô



Escreva Lola Escreva: ADIVINHA QUEM A PARADA GAY SP VAI HOMENAGEAR

Fiquei incrédula anteontem de manhã, ao saber que a Parada Gay de SP (que será realizada amanhã) decidira homenagear o Marcelo Tas. Não gosto muito de criticar movimentos do qual não faço parte (embora eu me considere muito simpatizante dos LGBTTT), pois sempre parto do princípio que cada grupo sabe muito melhor do que quem está de fora quem quer homenagear ou contra o que lutar. Mas é chato quando se vê que uma minoria, ou parte dela, não se antena com o que está acontecendo com as outras.

"Para ser gay, tem de ser muito macho", diz fundadora do Grupo de Pais de Homossexuais



Edith Modesto já tinha bastante trabalho sendo mãe de sete filhos e professora universitária, com direito a título de doutora em semiótica. Mas ela resolveu assumir uma tarefa a mais: fundar, em 1997, o Grupo de Pais de Homossexuais (GPH), cujo objetivo principal é aproximar os pais de seus filhos gays.
Depois de descobrir a homossexualidade de um dos filhos, Edith sentiu a necessidade de compartilhar seus sentimentos com outros pais, que viviam a mesma fase. Com essa atitude, ela conseguiu muito mais do que a sua intenção inicial, que era compreender melhor o filho.

Réguas e medidas...


         Eu gostaria de escrever sobre outro tema, mas hoje recebi uma crítica de um amigo (gay) e gostaria de fazer uma reflexão sobre ela.
Em uma conversa pela internet, esse amigo me disse em tom sacerdotal:
- Você é promíscuo... (!)
No caso dele, que é estudante de Psicologia, o tom foi mais de diagnóstico, só faltou um laudo que atestasse a minha promiscuidade. Sinceramente me incomodou um pouco a constatação. Ainda mais vinda de quem veio, e na situação que veio.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Parada de SP: O estandarte do sanatório geral vai passar


Meu deus vem olhar,
Vem ver de perto uma cidade a cantar,
A evolução da liberdade,
Até o dia clarear...
(Chico Buarque e Francis Hime - Vai Passar)


Tenho acompanhado a construção da Parada LGBT de São Paulo, ora pelas redes sociais, ora pela mídia. Chama atenção a quantidade de críticas, vindas de tudo quanto é canto sobre a Parada. Uns alegam que as bandeiras estão erradas, outros que a Parada virou um evento festivo e despolitizado. Alguns dizem que muita gente não sabe o que está fazendo na Paulista no dia, estão lá por oba-oba, que a Parada se vendeu para os clubes, e que  atualmente ela não consegue dar resposta aos anseios do movimento LGBT.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O que acontece quando o elefante senta na pata?


Um amigo que não vejo há alguns anos postou a seguinte mensagem no Facebook:

 Como é bom conviver com crianças. A gente acaba rindo de piadas tão bobas... as mesmas que ríamos quando éramos. Enfim. Como a pergunta: O que acontece se o elefante senta na pata?

NOTA: OAB repudia decisão de juiz sobre união gay é diz que é um retrocesso moralista


Brasília, 19/06/2011 - O presidente em exercício da OAB Nacional, Miguel Cançado, considerou  hoje (19) "um retrocesso moralista" a decisão do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal e Registros Públicos de Goiânia, Jeronymo Pedro Villas Boas, de anular o registro da primeira união gay após a decisão de reconhecimento tomada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Na decisão, o juiz goiano contestou a decisão do Supremo e disse que a Corte não tem competência para alterar normas da Constituição Federal. Segundo Miguel Cançado, ao decidir sobre a união estável  o STF exerceu o papel de guardião e interprete da Constituição. "As relações homoafetivas compõem uma realidade social que merecem a proteção legal, afirmou o presidente em exercício da OAB.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

VALE ACOMPANHAR: 2º. Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas - Brasília/DF

Preta versus Bolsonaro


Navegando pelas agências e pelas redes sociais eis que encontro o seguinte post do Lauro Jardim em um link da Veja no Twitter:


O post em si não tem nada demais, imparcial e informativo assim digamos.
Mas vindo de quem veio e ao público a quem ele se dirige, era bom dar uma olhada melhor. 
Quando se trata da Veja, imparcialidade não existe e uma notinha não sai assim de graça, era só esperar mais um pouquinho que coisas começariam a acontecer.
E eis que, devidamente convocados, os "leitores" da Veja começam a se apresentar, dá uma olhada aí:


Mas não para aí:



Tá acabando:



Olha a classe e a elegância desses leitores (alguém lá na Redação da Veja deve estar twitando a tag #SeusLindo para cada um deles). Repare nos mimos linguísticos com que os leitores da Veja se referem às mulheres, aos direitos humanos, às liberdades democráticas, às instituições e à Preta Gil. 

****

Deixando o meu cinismo de lado, é importante observar a movimentação da velha mídia quando o assunto é avançar nos Direitos Humanos, a velocidade com que ela consegue mobilizar seus adeptos e a rapidez com que estes convocados se apresentam. 
E é importante que mobilizemos mais e mais pessoas para contribuirem no debate sobre democratização da mídia. E é fundamental que nós, LGBT's nós somemos à luta por um marco regulatório dos meios de comunicação, participemos de maneira ativa desse debate através dos nossos blogs, das redes sociais, das marchas e dos encontros propostos.
Um nova regulamentação para os meios de comunicação é parte fundamental da luta em combate a todo e qualquer tipo de preconceito, dos avanços dos direitos humanos e da consolidação da democracia no Brasil.

Tem um texto muito bom sobre o tema no Blogueiras Feministas!


quinta-feira, 16 de junho de 2011

AGENDA: 24/06 - Bate-Papo informal com a Literatura GLS no Casarão Brasil.




Na sexta-feira dia 24/06, antes da Parada LGBT de São Paulo, você poderá conversar com os escritores Anita Costa Prado, Fabrício Viana, Guilherme Junqueira, Irineu Ramos, Kadu Lago e Paulo Roberto em um bate-papo informal sobre a Literatura GLS no Casarão Brasil.

Quer escrever um livro? Desenhar? Produzir romances? Saber mais sobre a vida dos escritores? Adquirir uma obra autografada? Receber dicas de como publicar um livro? Esta é a sua grande oportunidade. O evento é gratuito mas tem vagas limitadas. Você precisa confirmar presença por e-mail até o dia 23/06.

Participe!

Serviço:
Bate-papo informal com a Literatura GLS
Local: Casarão Brasil - Rua Frei Caneca, 1057 (próximo ao metrô Consolação)
Horário: Das 19h as 21h.
ENTRADA FRANCA
Vagas limitadas.
Confirme enviando seu nome e telefone para o e-mail: fabricioviana1977@gmail.com

________

Em tempo: O Fabrício Viana é autor do Livro O Armário (corre pra comprar aqui , Tá acabando!), Psicólogo (como eu!) e militante LGBT, o que o confere a ele o Título Honorífico de Gente Boa Pra Caramba! Quem estiver em Sampa e puder prestigiar com certeza não vai se arrepender.


Preconceito, internet e o sonho de ser aceito





Publicado no:  NE10

Uma semana após a travesti Luisa Marilac colocar no YouTube um vídeo no qual agride a jornalista Fabiana Moraes, do Jornal do Commercio, o site de compartilhamento exibe outro vídeo, editado com várias pessoas expressando apoio ao trabalho da jornalista, que recebe, no próximo dia 24 de junho de 2011, o prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (na categoria imprensa, por causa da matéria O Nascimento de Joicy).

quarta-feira, 15 de junho de 2011

PLC 122/06: Da criminalização da Homofobia à necessidade de políticas públicas de combate ao preconceito.


            Nos últimos tempos o debate sobre os direitos civis dos homossexuais tem sido uma constante nos principais meios de comunicação, nos movimentos sociais e nos mais diversos segmentos da sociedade brasileira.

A recente decisão do Supremo Tribunal Federal projetou nossa causa para um novo patamar e deu novo fôlego à militância LGBT e aos movimentos que apóiam nossas bandeiras e combatem toda e qualquer forma de discriminação.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Senador diz que renuncia se passar lei anti-homofobia




O senador Magno Malta (PR-ES) disse que abandonará o Legislativo se for aprovada a proposta que criminaliza a homofobia.

"Se o projeto de lei 122, que excita a criação de um terceiro sexo, for aprovado, com dignidade de cristão, renuncio do mandato de senador", disse.

Presidente da 'Frente Parlamentar em Defesa da Família Brasileira', Malta pendurou a promessa de renúncia em sua página na internet.

A proposta que desgosta Malta foi apresentada na legislatura passada pela ex-senadora Fátima Cleide (PT-RO). Sem apoio, desceu ao arquivo.

Ao chegar no Senado, Marta Suplicy (PT-SP) reapresentou o projeto, para desassossego de Malta e de toda a bancada evangélica e católica.

Deve-se a valentia do senador à certeza nutrida por ele de que a iniciativa de Marta é natimorta: “A proposta já voltou morta e sepultada”, diz.

Antes da promessa de renúncia de Magno Malta havia muitas razões para os congressistas aprovarem o tal projeto. Agora, há mais um motivo.
_____

Em tempo: Nunca pensei que um dia concordaria com o autor do texto!



domingo, 12 de junho de 2011

Carta aberta a Walter Pinheiro, senador petista homofóbico do PT-BA

Publicada originalmente no Correio do Litoral

De prcequinel@yahoo.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Para pinheiro@senador.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Fiquei completamente puto dentro das calças quando li que você, um dos nossos melhores e mais formidáveis quadros, participou da imundície chamada Marcha da Família, que teve como um dos organizadores o pulha direitista e notório pastor homofóbico Silas Malafaia porque, que isso fique bem claramente assentado, organizadores e participantes da tal marcha não estavam ali para defender a família porra nenhuma: vocês todos reuniram-se para proclamar a mais abjeta e completa homofobia decorrente da religiosidade obtusa que vocês professam.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Fabiana Moraes e o nosso sonho de sermos aceitos


A história começou da seguinte maneira: A jornalista Fabiana Moraes realizou uma entrevista com a Luiza Marilac e escreveu uma matéria sobre ela (Aqui), Luiza não gostou e postou um vídeo no YouTube (Aqui) ofendendo a jornalista, acusando-a de homofobia e outras coisas mais. Nos comentários do vídeo, incontáveis posts de apoio à Luiza, e mais ofensas à jornalista. Quantos realmente sabiam o que estavam apoiando? Bem poucos, acredito eu.

Como me ensinou muito bem uma professora, fui mais a fundo na questão, fui aos originais, e me surpreendi com o que vi e com o que li. A matéria da "homofóbica" é, sem dúvida nenhuma, muito positiva e nada homofóbica, humanizou a Luiza Marilac, falou de desejos, sonhos, de como é sua vida, foi além dos já tradicionais "bons drink". Fabiana foi de uma sensibilidade e delicadeza que poucas vezes vi quando o assunto são as LGBT, e em especial as travestis, e que a maioria dos jornalistas perdeu.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Ser gay é moda?




Republico aqui um texto que enviei recentemente para o site Homofobia Não (http://www.homofobianao.com/). Sigam @HomofobiaNAO



Já ouvi e já disse muita coisa a respeito da homossexualidade. Que era doença, desvio, mau-caratismo, entre outras tantas.

E hoje em dia ouço muita gente dizer que ser homoafetivo é moda. Ou seja, todo o meu processo de autoconhecimento e aceitação foi reduzido a um modismo momentâneo. Isso mesmo, uma tendência vinda das passarelas das Fashions Weeks do mundo, dos seriados americanos e das atuais novelas.

Diga à Mãe que eu cheguei...




"Diga a mãe que eu cheguei,
Cheguei tô de chegada,
Esperei bem esperado,
Nessa minha caminhada
Sou água de cachoeira,
Ninguém pode me amarrar,
Piso firme na corrente,
Que caminha para o mar,
Em água de se perder,
Eu não me deixo levar."

(Roque Ferreira, J. Velloso e Mariene de Castro)

Os versos acima são um trecho de uma música cantada pela baiana Mariene de Castro chamada Abre Caminho, tá ali meio que como um recado pra minha mãe e pra quem mais quiser que este blog chega ao mundo virtual no dia de hoje. Na música, os autores deixam claro quem são, de onde vieram e a experiência que tem, além de afirmarem que de bobos não tem nada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...